A vida no útero materno

Tudo o que acontece no nosso corpo funciona de acordo com os sinais elétricos que ele recebe. Isso no mostra que o que mais circula em nosso corpo é a energia. Tanto é assim que para saber se o seu coração está funcionando bem os médicos fazem um eletrocardiograma, que vai verificar como circula a energia. O mesmo acontece com o seu cérebro, se o  neurologista quer saber o que está acontecendo com o funcionamento do seu cérebro ele faz um eletroencefalograma . Quando desenvolvemos algum problema de saude podemos dizer que é uma estagnação de energia. Energia estagnada causa enfermidades. O que causa a estagnação da energia? Um biochoque. Biochoque é um momento específico que sofre algo inesperado, que não tem uma solução para isso, e não é possível falar sobre isso e de alguma forma fere os seus valores.

O que isso tem a ver com os traumas da gestação com isso?

Nós temos três cérebros, segundo Paul MacLan, Cérebro Reptiliano, Cérebro Emocional e Cérebro Racional.

Quando você está se desenvolvendo no ventre materno, você irá perceber o mundo de acordo com os sinais elétricos que sua mãe enviará ao útero. Conforme for o sinal que recebe vai lhe dar a sensação de conforto ou desconforto.

Nesse contexto o seu cérebro reptiliano e emocional começam a ter as primeiras impressões do que é o mundo do lado de fora.

O problema é que para a criança só existe o mundo do lado de dentro e esse mundo tem um espaço limitado, hora ele está confortável, hora ele está desconfortável. A percepção sensorial desse bebe no ventre materno vai registrando, quando os sinais elétricos são confortáveis e quando são desconfortáveis. Ele vai percebendo também algumas substâncias químicas que acompanham as sensações. Mas ainda as competências do cérebro racional não está ali desenvolvida.

O que acontece é que o bebê no ventre materno necessita tomar algumas decisões para poder tornar aquele ambiente mais seguro e mais confortável.

Se o mundo lá fora é hostil com a mamãe, se a mamãe é constante magoado, envergonhada, se ela sofre rejeições, é abusada, usada, fazem ela de boba, é ofendida. Você lá no ventre materno vai se sentir sem escolha. Porque você se sente sem escolha? Porque o seu mundo está enrijecido, as paredes do útero não estão confortáveis e quando isso acontece o melhor que você faz é ficar quietinho, não se mexer, até que tudo volte a normal.

Isso vai ensinando você a se isolar, a ficar quieto, não se mexer. Tudo isso porque o bebe tem a sensação que os seus movimentos causam esses desconfortos, então ele decide ficar quieto.

Os estímulos do mundo la de fora são enviados aos bebe na sua cabeça, falando de uma forma bem simplista, e o que existe no mundo dele é tão somente o líquido amniótico, a placenta e a parede do útero. E são essas coisas que deixam o seu mundo desconfortável. Ele não sabe o que tem do lado de fora, ele não sabe o que é mãe, o que é pai. Ele sente que dependo do tom de voz lá de fora, dependendo da vibração que acontece no útero, as coisas ficam boas ou não ali dentro.

O mundo externo da mamãe vai influenciar o mundo interno do bebe.

O bebe decide ficar quieto, porque essa é uma forma de sobreviver nesse mundo que ficou rígido por falta de sangue, porque a mamãe está sendo ofendida, magoada, abusada, rejeitada. Logo o bebe sente também a rejeição. Ele não sabe que o útero fica rígido por causa do que acontece com a mamãe, e sabe que tem horas que ele se move e o útero fica rígido. A decisão é ficar quieto, paralisar o corpo e utilizar mais a cabeça, estar mais atento aos estímulos que chegam no cérebro.

Quando ele sente que o mundo interno dele fica ruim, para ele é o mesmo que o mundo não querer ele, se sente rejeitado.

Então o sentimento de rejeição não é porque sua mãe não queria a gravidez, não é porque você vai ser uma boca a mais, não é porque o seu pai abandonou, não é porque o avô e a avó não aceita essa situação. É porque o útero está enrijecido. Os estímulos que estão chegando está dizendo que não é legal estar ai, que não é bem vindo.

Essa dor acaba separando a mente do corpo e o adulto quando se sente rejeitado tende a se isolar e querer resolver tudo com a cabeça. A dor de cabeça pode ser um sinal dessas experiências do útero, de querer resolver com a cabeça o que precisaria ser resolvido com atitudes.

O risco é por causa desse sentimento de rejeição o adulto criar um mundo paralelo, cria um mundo dentro da cabeça dele e se isolar.

A vantagem de tantos problemas é que você por conta de todos os desconfortos é muito criativo, imaginação flui, com muitas alternativas de ideias. Quando as memórias emocionais de dores são desativadas, essas competências aumentam. Quando essa energia fica congelada, o isolamento é inevitável, não quer contato físico, nessas horas o abraço é o que existe da mais doido. São pessoas que evitam contato.

Quando o sofrimento foi intenso o que se mais espera das pessoas que estão a nossa volta é que respeitam o isolamento. E se querem ser mesmo meus amigos não critique as minhas ideias.

Pessoas que tem esse perfil não estão sofrendo com esse isolamento social, pelo contrário estão com sua criatividade a todo vapor. Só vai ficar difícil se o que está criando está sendo criticado.

Mas você pode resolver isso com a liberação das memórias emocionais do útero, tanto com o curso curar que estamos fazendo e que você tem o release para liberar esse estresse, o o específico que você pode adquirir no nosso site. O CD a arte de lhe devolver a si.

https://www.institutonefesh.com.br você encontra esse material no site com esse super bônus que preparamos para você.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Conheça o Workshop Nefesh